E-commerce ultrapassa novas fronteiras

 

Por Kleber Bacili, CEO da Sensedia

APIs mudam a forma de comprar pela internet e levam o e-commerce para outro patamar em colaboração e interatividade

Interatividade, praticidade, conforto, colaboração: esses são alguns dos fatores que influenciam as compras pela Internet.

Afinal, qual é a diferença entre comprar um livro na livraria do seu bairro ou na loja virtual da Amazon? O fato é que na compra online, o consumidor não apenas pesquisa e finaliza a compra, ele tem uma experiência.

Esse novo conceito, customer experience (CX), é muito importante. Quanto melhor for sua experiência de navegação, melhores serão os resultados, tanto para o consumidor quanto para a empresa.

Uma experiência de compra mais integrada e interativa é propiciada por “blocos de construção”, APIs (Application Programming Interfaces), que funcionam como uma espécie de cola digital, permitindo a integração entre softwares não anteriormente relacionados. Ou seja, partes essenciais de uma loja virtual, como os meios de pagamentos, os botões de compartilhamento social, as páginas de recomendações, a comunicação por e-mail com os clientes: todos são implementados via APIs. Além disso, as APIs adicionam maior segurança e rapidez às compras online, aumentando a confiabilidade de sua marca junto aos clientes.

As APIs também estão no cerne do desenvolvimento de outra tendência, os marketplaces. Esses shoppings virtuais reúnem diversos lojistas em um mesmo ambiente e a disponibilização das informações sobre os produtos é feita via APIs (atualizações de preços, estoques, características dos produtos, por exemplo, trafegam entre uma empresa e outra a partir da API do operador do marketplace).

Assim, o marketplace surge para aproveitar o fluxo de visitantes em um único portal, potencializando a exposição dos produtos mais variados e atraentes para um público maior. Exatamente como os shoppings reais.

Na dianteira da exposição de APIs, os marketplaces já chegaram ao mercado com alto investimento em tecnologia. E para quem deseja investir e criar um marketplace agora, o caminho já começa focado em APIs.

Pense em API First: um modelo de negócios que já começa com uma estratégia digital transformadora e aberta para integrações com outros canais e parceiros.

Criar uma plataforma de APIs é o ponto inicial para isso. A plataforma concentra as integrações com os lojistas e reduz o tempo de conexão com o marketplace, de meses para dias. 

Omnichannel e mobile na jornada do consumidor

Garantir a mesma experiência para o cliente, independentemente do canal ou da interface que ele estiver usando, é o que caracteriza o omnichannel. Seu cliente tem que se sentir bem atendido na sua loja virtual, no chat, no atendimento telefônico, no app e no seu perfil do Facebook. O cliente precisa ser encantado pela experiência oferecida pela sua empresa, e para ele, não há diferença se foi atendido pelo telefone, e depois conclui a compra no site. Tudo deve ser fluído e conter informações coerentes entre si.

Só o site não é suficiente, mesmo que ele seja responsivo. Porém, hoje não dá para abrir mão de estar presente no mobile, integração possibilitada também pelas APIs.

Uma pesquisa do PayPal mostra que nos últimos três anos, a média de crescimento das vendas via mobile é de 46%. Essas tendências só aumentam a cada dia, e se você não quer perder sua fatia nesse mercado, investir em um aplicativo e em um portal de vendas mobile friendly é obrigatório.

Deu para perceber que as APIs estão revolucionando o e-commerce, certo? Então, invista em uma estratégia de APIs e empreenda uma transformação digital em sua empresa. Essa é a chave para se manter competitivo e atrair um consumidor cada vez mais conectado!

Sobre a Sensedia

Considerada a maior referência em API (Application Programming Interface) e SOA (arquitetura orientada a serviços) no Brasil, a Sensedia tem sede em Campinas (SP), e escritórios em São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Filadélfia (EUA). Alguns dos clientes são: Bradesco, Catho, Cielo, Rede, Cnova, Netshoes, Estácio, B2W, Insper, Ipiranga, Itaú, Natura, Bradesco Seguros, Sem Parar e Tecban, entre outros.

 
 

 

BRSAE-commerceOpinião e ArtigosSensedia