São Paulo recebe ‘Pedale por uma Causa’

 

 
 
  • Passeio ciclístico é promovido por associação de pacientes de esclerose múltipla
  • Objetivo é chamar atenção para a doença que afeta 2,3 milhões de pessoas em todo o mundo
  • Segunda edição terá inscrições gratuitas e percurso de 10 quilômetros

No dia 28 de agosto (domingo), São Paulo receberá a segunda edição do “Pedale por uma Causa – Esclerose Múltipla”. O passeio ciclístico tem início previsto para as 9 horas, no Clube Athletico Paulistano, com inscrição gratuita. “Queremos, por meio de uma atividade divertida, da qual todos podem participar, dar visibilidade à doença neurológica que mais afeta jovens adultos no Brasil”, explica Gustavo San Martin, fundador da Associação Amigos Múltiplos da Esclerose (AME), um dos organizadores do evento. 

O “Pedale por uma Causa” terá percurso de 10 quilômetros e é aberto ao público, sem restrição de idade. Este ano, também será realizado em outras três cidades: Rio de Janeiro, ‎Florianópolis e ‎Porto Alegre – todos no mesmo dia e horário, com coleta de alimentos não perecíveis, que serão doados às entidades assistenciais locais, entrega de kits e alongamento.

A ideia da pedalada é unir pacientes – com ou sem mobilidade reduzida – e a população para alertar sobre a necessidade de repensar a inclusão e a acessibilidade como algo fundamental nas cidades, além de diminuir preconceitos sobre a doença e aumentar o conhecimento sobre seus sinais e sintomas.

Serviço

“Pedale por uma Causa – Esclerose Múltipla”

  • Domingo, 28 de agosto, das 9 às 12 horas.
  • Ginásio Antônio Prado Júnior (Clube Athletico Paulistano) – Rua Colômbia, 77 – Jardim Paulista – São Paulo – SP.
  • Para realizar a inscrição, acesse http://bit.ly/pedale2016. A AME solicita doação de 1 kg de alimento não perecível. A inscrição dá direito a camiseta oficial do evento e medalha de participação. 

 

Saiba mais sobre a Esclerose Múltipla
Comum e ainda mal compreendida, a esclerose múltipla é uma doença autoimune, inflamatória do sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal). Crônica e reincidente, pode levar a sintomas que são muito variáveis entre um aparecimento (surto) e outro, e de uma pessoa para outra. A EM ocorre mais frequentemente em jovens entre 20 e 40 anos e é 2 a 3 vezes mais comum em mulheres.

Muitos sintomas são possíveis na esclerose múltipla. Entre os mais comuns, estão problemas de visão, perda de sensibilidade em alguma região do corpo, dor persistente sem motivo no braço ou na perna, no tórax, formigamento ou fincadas repetitivas e frequentes nos membros.  Além disso, perda de força localizada nos membros, falta de coordenação dos movimentos, vertigem (labirintite), que é uma sensação de a cabeça rodar ou todo o corpo, sensação de querer vomitar ou mesmo vômitos e também muitas vezes a visão dupla.

Como não há não há um marcador biológico, um exame específico que defina a doença, o diagnóstico se baseia no conjunto de informações clínicas, no exame neurológico do paciente e em exames complementares, como a ressonância magnética. (Fonte: Associação Brasileira de Neurologia).

Quer saber mais? http://www.amigosmultiplos.org.br/em 

Conheça e conte com a AME

A AME – Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir para a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma organização sem fins lucrativos que, desde 2012, reúne amigos múltiplos com a missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível. Visite-nos: http://www.amigosmultiplos.org.br/

AMEColuna SocialKreab Gavin AndersonSaúde