Não deixe ninguém para trás: dicas para viajar com os pets

O final de ano está chegando e muita gente já começou a planejar suas viagens. Seja para passar a virada em algum lugar bacana ou aproveitar o período de férias, essa época é considerada a alta temporada para viajar e movimenta o mercado do turismo. E se você tem um animal de estimação, pode surgir a dúvida: levar ou não o bichinho com você?


Não há problema algum em levar seu cachorro ou gato com você em viagens, tanto de carro quanto de avião. Mas são necessários alguns cuidados. A Bidu Corretora separou algumas dicas para você não deixar ninguém para trás.

Viajando de carro

- Em primeiro lugar, pense na segurança do seu melhor amigo. O Código Brasileiro de Trânsito proíbe levar os animais na parte externa do veículo ou dirigir com os animais entre os braços e pernas. O mais adequado é transportá-los em uma caixa de transporte, gaiola, presos por um cinto especial ou em uma cadeira adequada para o tamanho do animal. Nada de viajar com eles soltos dentro do carro.
- Um dica é andar com o animal de carro antes do dia da viagem, para ele ir se acostumando com o veículo. Após esses passeios, dê biscoitinhos e faça carinho para ele associar o passeio de carro a uma coisa muito legal.
- Na viagem, faça uma parada de hora em hora e desça com o bichinho. É importante ele se movimentar, beber água e fazer suas necessidades.
- Nada de alimentar seu amigo durante a viagem: isso pode causar enjoos. Além disso, você pode procurar calmantes naturais em lojas de cuidados para pets.
- Leve a carteira de vacinação e um atestado de trânsito emitido por um médico veterinário. Ele deve ser feito e assinado pelo veterinário permitindo que seu bichinho passeie por aí de carro. Esses documentos são obrigatórios.

Viajando de avião

- Se a viagem for nacional é preciso levar um atestado de saúde comprovando a imunização contra a raiva. A vacina deve ser tomada com pelo menos 30 dias de antecedência da viagem e o atestado deve ser assinado por um veterinário inscrito no Conselho Regional de Medicina Veterinária.
- Seu amigo não humano poderá ser transportado tanto no compartimento de carga quanto na cabine de passageiros junto com você. Depende da companhia aérea. Pode ser necessário ainda fazer uma reserva para o animal e pagar uma taxa.
- No aeroporto, os bichinhos devem usar focinheira. Dentro do avião, eles devem permanecer na caixa de transporte.
- Em viagens internacionais, além das recomendações acima, é necessário também apresentar o Certificado Zoossanitário Internacional (CZI) que precisa seguir as exigências sanitárias do país de destino: cada país exige diferentes normas. Pesquise isso com antecedência para não correr  risco de deixar seu amigo para trás no dia da viagem.


Viajar com animais dá trabalho, mas é uma boa opção para quem não consegue ficar longe do melhor amigo. Porém, se você perceber que o seu cachorro fica irritado e impaciente ao andar de carro ou não reage bem a mudanças em geral, a melhor opção é não viajar com ele. Deixe ele na casa de algum familiar, amigo ou até vizinhos. Também existem hotéis e opções de hospedagem para o seu animal que são boas opções para quem não quer ou não pode viajar com eles.

Também é importante contratar um seguro pet, que funciona como um plano de saúde para o seu animal. Caso ele sofra algum acidente ou pegue alguma doença, você terá cobertura para levá-lo a veterinários e exames. Além disso, ele pode ser útil, já que oferece a aplicação de vacinas obrigatórias em caso de viagens com o pet. 

BiduNR-7 ComunicaçãoPets (Bichos)Turismo