8 tendências do setor digital para 2017

Segundo Ricardo Martins, Diretor de Inovação na ABlab, o digital se reinventará mais uma vez

Aproximadamente 94% das empresas mantiveram ou aumentaram o investimento no Marketing Digital em 2016. Isso é reflexo do aumento no número de visitantes aos sites e e-commerces, sem falar na crescente onda de engajamento que as redes sociais proporcionam aos internautas.

“O digital não se restringe apenas às redes sociais, tudo que engloba nosso mundo atualmente está ligado ao digital. Seja à conta do Facebook, à transação bancária, o mercado delivery e assim por diante. Estamos na era do micro-moment e das decisões imediatas e a cada ano as mudanças serão mais recorrente”, menciona o profissional da ABlab, Ricardo Martins.

Levar novos usuários ao site e convertê-los em clientes é o desafio de muitas empresas. Isso se torna ainda mais difícil em um mercado imprevisível como o atual, em que novas tecnologias e maneiras de fazer negócio surgem a todo instante. Em 2015 o marketing digital conseguiu se destacar e ofereceu uma melhora significativa em todos os tipos de negócios.

De acordo com o The CMO Survey 2015, pesquisa realizada com diretores de marketing dos EUA, mostra que os investimentos em marketing digital vão triplicar até 2018, e o Brasil seguirá essa tendência.

As métricas desenvolvidas no digital mudam com o passar dos anos, mas algumas mecânicas nunca mudam, apenas passam por adaptações conforme a necessidade da marca de atingir determinado público. Após analisar os dados de demanda e resultado obtido nas agências que passou, Ricardo Martins chegou a 8 regras de maximização de performance para o setor no próximo ano.

-CRM focado na análise de dados real time do cliente - Tratar o relacionamento do cliente com dados real time com objetivo de impactar no canal, mensagem e momento de iniciar a comunicação junto ao público-alvo.

-Pagamento Transparente - Um dos maiores diferenciais do Uber foi sempre promover o pagamento como uma necessidade interativa e ser algo transparente ao cliente. Isso passa credibilidade para o possível o cliente independente do serviço.

-Campanhas de Integração Off-line e On-line - Adquirir dados do consumidor deve ser a prioridade da empresa, não importa o meio. As novas campanhas off-line migram para o cenário digital e cada vez mais deverão trazer resultados e princípios destinados ao setor.

-ChatBots (ou chatterbot)  - Os bots devem ser a nova moda, ao invés de brigar pelo espaço com outros APP's veremos muitos bots de conversação espalhados no mercado. O ChatBots é um programa de computador que simula um ser humano na conversação com as pessoas.

-Machine Learning - Usar dados e redes neurais para automatizar algoritmos.

-Wereables - Se a integração entre on e off está cada vez mais eminente os devices como Apple Watch, Samsung Clock e Nike Run devem crescer, já que eles são grandes pontes entre os canais.

-Integração de meios de pagamentos - O Avanço das fintechs deve levar a unificação dos meios de pagamentos como, por exemplo, pagar uma conta com o seu celular.

-Serviços como Produtos – Os melhores exemplos são Netflix e Spotify, eles descontruíram o conceito de comprar música e filme como produtos e transformaram o comportamento do consumidor em serviços.

 

Sobre a ABlab – Marketing de Performance
Fundada em 2015, a ABlab é uma startup focada em performance no ambiente digital, inovação e soluções disruptivas. Fornece serviços de SEO (Search Engine Optimization), Assessoria de Imprensa 2.0, Social Media, Otimização de Conversão, Links Patrocinados e E-mail Marketing.  Como principais clientes atende as contas de Citroën, Sodexo, Ultragaz, Granberg, Eucatex e BASF, além de marcas dos segmentos de vestuário, automotivo, tecnologia, saúde, entre outros.

ABLABABlabInovaçãoTecnologia