4 dicas de como aumentar o lucro da sua empresa

4 dicas de como aumentar o lucro da sua empresa

A vantagem de se posicionar como especialista em um nicho vai além da busca orgânica no Google pela sua marca

É fato que a forma de fazer marketing alterou ( e muito) de uns 3 anos para cá. As agências de marketing digital tiveram um “boom” de crescimento. Segunda a última pesquisa desenvolvida pelo Rock Content e Resultados Digitais: 34,2% dos respondentes da pesquisa, 1116 pessoas responderam, se auto intitularam agência de marketing digital. Empreendedores perceberam a força do digital para captar clientes e ampliar os seus negócios. Isso é refletido nessa expansão do segmento. Todavia, de nada adianta profissionais capacitados que elevem a busca da marca do empreendedor na internet se a marca não estiver associada a algum tipo de conhecimento, isso é importante para que haja uma interação entre a marca e o consumidor.

Uma das principais estratégias que adotei, após a criação da rede Francisca Joias, foi estudar o meu público-alvo. Essa ação pode parecer clichê, afinal ela compõe a análise Swot, algo que qualquer aluno aprende em um curso de marketing. Entretanto, quando o empreendedor vai além do estudo do público-alvo e produz conteúdo para este nicho com qualidade daí foge do óbvio. No cenário tecnológico em que o celular está em 80% das casas brasileiras (dados do IBGE) em contrapartida ao PC (76,6%), as pessoas querem e estão acessando notícias e demais informações pelos seus aparelhos móveis e são “bombardeados” de todos os lados. Logo, a disputa pela atenção do internauta é algo notável. Esse internauta para acessar um conteúdo ele precisa ter o desejo no assunto e a credibilidade de quem o escreve.

Após o estudo do público-alvo da Francisca Joias fiz uma pesquisa em como me posicionar como especialista em semijoias, pois o conhecimento eu já tinha. Criei um blog, estudei design das joias, e vi que a Francisca não vende semijoias e sim a experiência com as peças. Cada peça tem um material que gera uma experiência sensorial com a internauta. Além disso, desenvolvi um fórum de discussão no Facebook, na página da Francisca e no blog para que as consumidoras troquem experiência de vida, moda e produtos adquiridos no e-commerce. A ideia é gerar sinergia entre as consumidoras  e as fazer pertencer a um grupo. Um grupo de mulheres antenadas, que se apoiam e sabem da força de cada uma. Aos poucos o nome Sabrina Nunes, especialista da semijoias da rede Francisca Joias foi se consolidando na mídia on e off, e isso impactou diretamente na quantidade de pessoas que conheciam o meu e-commerce e concomitantemente no meu lucro.

No momento em que enxerguei que a marca Francisca Joias tinha que estar ligada a conteúdo soube uma fórmula de sucesso: não comercializava apenas semijoias, comercializava conhecimento e unia mulheres de todo o país.

1. Aumentou a confiança da marca

A Francisca Joias existe desde 2012. Em 2014 comecei a me dedicar na criação de conteúdo para as minhas clientes e prospects. Isso impactou diretamente no número de revendedoras da Francisca: crescemos 70% de 2015 para 2016 no número de mulheres que representam a marca. Temos mais de 470 revendedoras nas 5 regiões do país.

2. Ampliou a busca orgânica na rede

Quando o empreendedor vira referência em um assunto, no caso da Francisca Joias, maior e-commerce de semijoias do país, se posiciona como uma marca que ouve a mulher e que mais do que isso promove fóruns para as mulheres conversarem entre si, isso solidifica a marca. As mulheres lutam por igualdade, algo que deveria ser intrínseco no contexto social, a Francisca enxerga isso e apoia cada mulher brasileira. Desde que os fóruns, o blog, e as redes sociais da marca começaram a operar com conteúdo sendo entregue a internauta os ganhos orgânicos foram sentidos.

3. As vendas cresceram

De 2014 para 2017 a rede Francisca Joias cresceu 150% e só em 2016 o faturamento foi de 2,5 Milhões de reais. Os números são reflexos da credibilidade da marca Francisca Joias e essa solidificação veio das nossas internautas que consomem o nosso conteúdo.

4. O conteúdo é reflexo dos interesses do público-alvo (Um conceito da Teoria da Comunicação-Agenda Setting)

O empreendedor ao conhecer os temas que interessa o cliente e o seu prospect pode aliar conteúdo a marca. É isso que fazemos, periodicamente consultamos as revendedoras e clientes para entender quais assuntos chamam mais atenção e adaptamos o conteúdo ao que é desejado. É fato que incluímos assuntos que julgamos pertinentes, indo além do já esperado, mas adaptar o conteúdo não é sinônimo de desqualificado. Tudo depende da apuração, escrita e a plataforma que este conteúdo será inserido.

ABLABComunicação Digital (Internet)Francisca JoiasMarketing