Paulistanos gastam em média R$67 no delivery de comida

Bairro com maior valor de consumo é a Vila Nova Conceição (R$ 78,76) e a taxa de entrega média mais alta é em Indianópolis (R$9,06); Empatadas com 32% dos pedidos cada, pizzas e sanduíches representaram, respectivamente, um custo médio de R$61,02 e R$63,47.

 


Conhecida mundialmente como a capital da gastronomia, São Paulo oferece mais de 10 mil opções de restaurantes em que podem ser apreciados uma imensa variedade de pratos de diversos lugares do país e até do mundo. Com o intuito de identificar as preferencias dos paulistanos na hora pedir comida, o iFood - (www.ifood.com.br) – líder absoluto em delivery online de comida no país – elaborou a segunda pesquisa de comportamento de consumo, desta vez com uma base de 310 mil pedidos de dois mil estabelecimentos cadastrados na plataforma, entre janeiro e abril deste ano. Foram analisados os pratos mais consumidos, o ticket médio, a taxa de entrega e os bairros que mais solicitam comida via delivery.

 

Os dados mostram que as pizzas e os sanduíches se mantêm como a preferência dos paulistanos, representando 32% dos pedidos cada e gasto médio de R$61,02 e R$63,47, respectivamente. Nas demais culinárias também há números significantes, como a japonesa, que representou 9% das solicitações  e custo médio de R$ 90,99. Outro destaque ficou por conta dos pratos árabes, com 8% dos pedidos e ticket médio de R$ 75,96. Na sequência ficaram: chinesa, com 6% e R$ 46,04 de custo; variadas, 5% e R$ 53,18 de gasto; saudável e italiana, ambas com 3% e, respectivamente, R$ 60,06 e R$ 101,04 de médias; bebidas, com 2% e R$ 64,13 de valor, e comidas rápidas, estas conhecidas informalmente como “pratos feitos”, com 1% dos pedidos e R$ 57,47 de ticket médio.

 

De acordo com o estudo, o gasto médio do paulistano com delivery de comida ficou em R$ 67,45. Na análise por bairros, o ranking dos 10  com maior valor de consumo foi liderado pela Vila Nova Conceição (R$ 78,76), seguida pelo Jardim Paulista (R$75,48), Itaim Bibi (R$ 75,47), Indianópolis (R$ 74,13), Vila Olímpia (R$ 71,56), Pinheiros (R$ 68,71), Perdizes (R$ 68,46), Vila Mariana (R$ 67,89), Consolação (R$ 66,04) e Bela Vista (R$ 63,62).

 

No entanto, por mais que o Jardim Paulista apareça em segundo lugar em ticket médio, o bairro se destaca com a maior concentração de solicitações, com 16.836 pedidos mensais, seguido por Pinheiros (14.342), Vila Mariana (12.648), Itaim (12.260), Bela Vista (11.229), Vila Olímpia (10.648), Perdizes (8.067), Vila Nova Conceição (8.060), Indianópolis (7.717), e, completando o “Top Ten”, a Consolação com 7.302. “Além do fato desses bairros concentraram uma enorme quantidade de bons restaurantes, o alto número de pedidos é resultado do crescimento e consolidação do mercado mobile, já que 90% desses pedidos são feitos pelo app. Estes dados revelam que o paulistano está cada vez mais em busca de ferramentas que o auxiliam no dia a dia e que, principalmente tragam e soluções aliadas a comodidade”, comenta Felipe FioravanteCEO do iFood.

 

Para fechar a pesquisa, os dados sobre a taxa de entrega também foram apurados. Neste quesito, o valor médio em São Paulo foi de R$ 7,00. Na lista dos bairros com custo mais elevado  aparecem Indianópolis (R$ 9,06), Jardim Paulista (R$ 8,75), Vila Nova Conceição (R$ 8,63), Itaim Bibi (R$ 8,22) e Pinheiros (R$ 8,00). 

 

Para Fioravante, o levantamento do iFood é animador e representa uma mudança de hábito contínua dos consumidores. “Para nós ficou evidente mais uma vez que está ocorrendo um movimento crescente de migração da ligação telefônica para o pedido via app. Mesmo que o cenário econômico pareça desfavorável, a região metropolitana de SP ainda oferece muita oportunidade de ganho financeiro por meio do delivery”,observa.

 

Sobre o iFood

 

iFood, plataforma líder de delivery online de comida no Brasil, permite a solicitação de pedidos de comida via internet e aplicativos móveis disponíveis nos sistemas operacionais iOS, Android e Windows Phone. Nas plataformas de smartphones, os consumidores conseguem selecionar os restaurantes que entregam no local desejado, consultar os cardápios e preços, e em seguida comprar sem a necessidade de ligações telefônicas. Atualmente, a empresa mantém presença em mais de 80 das principais cidades economicamente ativas do Brasil. Contando com mais de 5.000 restaurantes ativos, o iFood registra 700 mil pedidos mensais e valor transacionado anual de R$ 400 milhões aos restaurantes. O objetivo é expandir o serviço para outras cidades e estados do País, atingindo mais de 10.000 estabelecimentos e redes de alimentação até o final de 2015. 

ComportamentoE-CommerceiFoodMisasi