Consumo Consciente: Pesquisa mostra perfil do brasileiro

Em contrapartida, empresas se antecipam e desenvolvem modelo de negócios que incentivam o consumo consciente

 

serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) lançou no dia 01/07/2015 um indicador inédito sobre hábitos de consumo do brasileiro. O estudo mostra de forma clara que mais da metade dos entrevistados não consomem de forma consciente. O consumidor brasileiro está em fase de transição e, segundo a pesquisa, que foi realizada em todas as capitais do país, em uma escala de 1 a 10, a média para a importância do tema consumo consciente resultou em 8.8, em contrapartida, apenas 21.8% de fato, consomem de maneira plenamente consciente.  O objetivo do estudo do SPC é medir e analisar os conhecimentos da prática do consumo consciente, principalmente nos aspectos financeiro, ambiental e social. O Indicador de Consumo Consciente (ICC), ainda mostra que menos da metade dos entrevistados recusam produtos piratas e 84% não se importam com marcas famosas.

 

O brasileiro precisa, de forma geral, incorporar atitudes conscientes quando se trata de consumo, essa transição vem acontecendo aos poucos e, inclusive, muitas empresas novas no mercado, criaram seu modelo de negócios com a preocupação de incentivar o ato de consumir com consciência.

 

Um exemplo disso é o Etiqueta Única, brechó online de produtos de luxo. Esse mercado de artigos seminovos cresceu 210% desde 2010 e possibilita ao consumidor, uma economia que pode chegar a 80% em relação às lojas, segundo dados do Sebrae. Patricia Sardenberg, fundadora do e-commerce, desenvolveu seu modelo de negócios em 2013, quando identificou uma oportunidade no segmento. De olho na tendência de mercado e preocupada com a sustentabilidade, a empresária garante que os consumidores continuam interessados em produtos de luxo, porém, estão à procura de peças exclusivas e para isso avaliam como consumir de maneira mais consciente, essa visão crítica tem aquecido o mercado de segunda mão. Além de ser uma maneira de reutilizar produtos que ainda estão em ótimas condições, evita-se o consumo excessivo, que gera um acumulo desnecessário de itens com um valor alto.  “O desejo por uma Louis Vuitton ou Gucci, por exemplo, faz a cliente buscar peças exclusivas mesmo que sejam usadas, evitar o consumo exagerado é uma das preocupações que está presente no nosso discurso e no dos nossos clientes”, explica Patricia. A empresa ainda possui um diferencial, que é a expertise em autenticação, uma garantia de que todos os produtos disponíveis no site são originais e com um preço justo, sempre comparado a de um produto novo na loja da marca. “O mercado de produtos falsificados aproveita o desejo da consumidora para fabricar réplicas de grandes marcas. Mas nada se compara ao prazer de comprar uma peça original, para combater essa atividade que é ilegal”, finaliza.

 

Ainda falando sobre moda, a Dress & Go, especializada em alugar vestidos de estilistas renomados por um valor de 20% em relação ao de venda em loja, também é um exemplo interessante de consumo consciente. Muitas mulheres gostam de usar vestidos de importantes marcas para ir a eventos e festas, mas não gostam de repetir o mesmo look em outras ocasiões. Isso faz com que elas comprem diversas peças, mas usem pouquíssimas vezes. Em situações como essas, alugar um vestido ao invés de comprá-lo  pode ser uma forma interessante de refletir como consumidora.  Na contra mão do consumismo exacerbado do fast-fashion estão as sócias, Barbara Almeida e Mariana Penazzo, que criaram o site. A proposta da loja é estimular o aluguel, evitando a compra exagerada. O site traz a solução para o famoso “Com que roupa eu vou?” e o acúmulo de vestidos de festa no guarda roupa, a e-store, oferece um closet de ponta a disposição das clientes mais exigentes do mercado.

 

Até mesmo empresas do segmento de alimentação, começam a se preocupar com a dispensa dos alimentos, todo excesso gera um desperdício que poderia ser facilmente evitado, se pensado de maneira consciente e inteligente. O Cheftime, primeiro e-commerce do Brasil de assinatura de kits gastronômicos, possui kits para 2 ou 4 pessoas, com todos os ingredientes na medida exata para cada receita e um encarte com o passo a passo do preparo e, ainda permite que o cliente escolha o melhor dia e horário para receber os alimentos. Com receitas criadas por chefs conhecidos, todos os kits são preparados e montados sob encomenda com ingredientes frescos no Buffet Charlô, um dos mais respeitados caterings do Brasil, que acompanha rigorosamente cada etapa dos processos de preparo. “No Brasil as pessoas estão cada vez mais se preocupando com a alimentação e em contrapartida, querem cozinhar em casa receitas diferentes e de forma prática. E é aí que entramos, pois o cliente receberá em sua residência a quantidade certa dos ingredientes para fazer refeições sofisticadas, com os alimentos pré-preparados e sem desperdício”, diz Hugo Godinho, fundador da plataforma.

 

Mesmo que os consumidores do país ainda estejam em transição e nem todos possuam uma preocupação com o consumo consciente ou entendam a real importância disso, essas e muitas outras empresas já começaram a voltar à atenção para questões ambientais e consumo inteligente, o que colabora para a conscientização da população e, mesmo que nem sempre de forma consciente para o consumidor, essas empresas incentivam e fazem com que as pessoas consumam de forma diferente, sem desperdício e com todos os cuidados necessários.

ComportamentoEtiqueta ÚnicaMisasiNacional