Com 6 milhões de praticantes, movimento fitness chega ao Brasil

Programa de saúde Freeletics é praticado em 160 países; 150 mil brasileiros já se inscreveram

 

Criado na Alemanha em 2013, o movimento Freeletics (www.freeletics.com/pt) se tornou uma febre na Europa e nos Estados Unidos. Hoje é praticado por mais de 6 milhões de pessoas em 160 países. No YouTube e nas redes sociais, é possível encontrar milhares de histórias de transformação dos chamados Atletas Livres, como os praticantes da modalidade são chamados.

 

Ainda uma novidade no Brasil, o Freeletics já conta com mais de 150 mil inscritos nacionalmente e, em média, 5.000 pessoas inscrevem-se por aqui a cada semana. Grupos de Atletas Livres já existem em diversas cidades, como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre e Recife. Por meio das redes sociais, eles se motivam, trocam experiências e agendam treinos coletivos.

 

Com treinos de 15 a 45 minutos, o programa Freeletics é uma forma de abandonar o sedentarismo, destaca Gabriel de Oliveira, representante do Freeletics no Brasil. “É importante que o brasileiro encontre alternativas para se exercitar. É uma questão de saúde e bem-estar”, destaca. Segundo o IBGE, 56,9% dos brasileiros estão acima do peso. Desses, mais de 20% são obesos e, entre as mulheres, 52% têm excesso de gordura abdominal.

 

O conceito do movimento envolve não só o desempenho do corpo, mas também da mente. “O Freeletics dá às pessoas uma ferramenta para desenvolver habilidades físicas como força e resistência, e habilidades mentais como  autoestima, disciplina e motivação. O objetivo é que cada um possa se tornar uma versão mais forte de si mesmo”, afirma Gabriel.

 

Como funciona?

 

Disponível para web e em aplicativos iOS e Android, o Freeletics oferece mais de 1000 variações de treino de alta intensidade, que promovem uma transformação corporal e motivacional do usuário. O conceito é simples: “treine a qualquer hora, em qualquer lugar, sem desculpas”. Não são necessários pesos ou aparelhos: tudo é realizado apenas com o peso do próprio corpo. Caso não haja espaço para corrida, o programa adapta os treinos para que sejam realizados em um espaço de 2x2 metros, ou seja, pode ser feito até mesmo na sala de casa ou em um quarto de hotel.

 

O programa funciona também como rede social, estimulando os seus usuários a compartilharem seu progresso diário, treinarem juntos e se motivarem.

 

Há oção de treinos gratuitos e pagos - o Coach, plano de treino personalizado oferecido pelo programa. Após uma avaliação física inicial, cada usuário do Coach, seja ele iniciante ou avançado, recebe a cada semana um plano de treino personalizado para o seu perfil, necessidades e objetivos.

 

“O grande diferencial do Freeletics é o acompanhamento personalizado oferecido pelo Coach. O plano não chega sequer a R$30 por mês e os resultados aparecem já nas primeiras semanas. Mas claro, a alimentação possui um papel fundamental para a transformação”, destaca Gabriel.

 

O programa também oferece um Guia Nutricional, que dá dicas de alimentação saudável e balanceada para maximizar os resultados dos treinos, além de receitas nutritivas e fáceis de serem preparadas. 

Corrida e TreinamentoFitnessFreeleticsMisasi Relações Públicas