Supermercados podem prevenir contágio do H1N1

 

 

Supermercados podem prevenir contágio do H1N1 com uso do cobre nos carrinhos de compras 

Com o aumento dos casos de H1N1, substituir os cabos de plástico dos carrinhos de supermercados por barras de cobre pode ser uma alternativa para deixar o ambiente mais seguro e a superfície de contato livre da contaminação por vírus e bactérias nocivos à saúde. 

Ainda em 2008, a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (em inglês, Environmental Agency Protection, mais conhecida como EPA) comprovou que o cobre é um metal antimicrobiano. Isso quer dizer que as propriedades do cobre eliminam mais de 99,9% das bactérias, o que se dá em apenas duas horas de exposição. A comprovação é um marco e, de lá para cá, tem incentivado setores da indústria e do varejo de vários países a instalarem itens de cobre em instalações e artefatos de uso coletivo. 

O Instituto Brasileiro do Cobre (Procobre) tem se esforçado para informar e conscientizar o mercado a aderir ao cobre. Em um país de proporção continental, este é um trabalho que demanda tempo, mas que tem gerado frutos. No setor supermercadista, por exemplo, o Varanda Frutas, em São Paulo, fez a substituição dos cabos dos carrinhos por barras de cobre antimicrobiano, visando a segurança de seus clientes. Também há bons exemplos na área da saúde e da educação com uso do cobre em hospitais e escolas para inibir a proliferação de microorganismos e prevenir infecções. 

Ainda estamos distantes do ideal, é verdade, mas não se pode negar que o Brasil tem tido avanços nessa área de prevenção com alguns fabricantes incorporando a liga de cobre a artefatos utilizados em estações de trens e metrôs, estacionamentos, rodoviárias, edifícios públicos, hotéis, restaurantes, entre outros locais com grande circulação de pessoas. 

Além da Influenza A (H1N1), o cobre antimicrobiano também elimina o vírus da Salmonella e o E. Coli. É preciso que o setor varejista, em larga escala, compreenda que o cobre pode inibir esses agentes patológicos, ajudando no combate a infecções virais, como as transmitidas pelo H1N1, de forma a aumentar a segurança da população. 

Por Antonio Maschietto Jr, diretor executivo do Instituto Brasileiro do Cobre (Procobre). 


Sobre o Procobre

O Instituto Brasileiro do Cobre (Procobre) é uma instituição sem fins lucrativos que faz parte da Internacional Copper Association (ICA), sediada em Nova York. Líder mundial na promoção do cobre, metal que sempre se fez presente na evolução das civilizações, o Procobre tem como missão difundir informações sobre os atributos técnicos e científicos do cobre, gerar pesquisas, desenvolver processos e produtos tecnológicos e criar novos usos para o metal. Seus dois maiores desafios são posicionar a indústria do cobre como um setor fundamental para responder às necessidades da sociedade e posicionar o cobre como um material que atende as preocupações do desenvolvimento sustentável. Site: www.procobre.org
 

Atitude ComunicaçãoProcobreSaúdeSaúde Pública