Algodão: sustentabilidade e rentabilidade
Bayer
Clique na imagem para fazer o Download...
Alta | Web
Bayer
Clique na imagem para fazer o Download...
Lavoura de algodão
Alta | Web
  • Valorização da fibra, exportação e genética ganham destaque na pauta da cotonicultura em encontros promovidos pela Bayer com lideranças da ABRAPA, ABIT e ANEA

As estimativas para a produção global de algodão podem ser animadoras ou preocupantes, dependendo do viés usado na análise. O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) estimou a produção brasileira na safra 2015/2016 em 6,50 milhões de fardos, mas esse número pode cair 1,54% na safra seguinte, de acordo com o órgão americano.

Para reverter esse cenário e incentivar o uso da fibra de algodão, a cadeia produtiva tem analisado os desafios que envolvem todos os elos: indústria, agricultores, traders, setor têxtil e consumidores A Bayer, como empresa líder no setor de sementes de algodão, convidou para o debate nomes de peso da cotonicultura brasileira, incluindo Abrapa (Associação Brasileira dos Produtores de Algodão), Anea (Associação Nacional dos Exportadores de Algodão), Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil) e BBM (Bolsa Brasileira de Mercadorias). 

A pauta deste encontro, que ocorreu no último dia 11 de maio de 2016, é composta por itens importantes, incluindo rentabilidade do produtor, qualidade da fibra e desafios na exportação. “Para cada gargalo, nós buscamos uma solução e isso só é possível se pensarmos juntos, envolvendo todos os elos da cadeia produtiva”, adianta Fernando Prudente, diretor de Marketing de Algodão e Culturas Extensivas da Bayer. 

Da lista de desafios do setor, foram debatidos alguns pilares como variedades e manejo da lavoura. Foram apresentados dados científicos sobre as variedades disponíveis no mercado e informações que podem ajudar o agricultor a produzir mais e melhor. Ainda no encontro, para falar de plantio e colheita, as empresas John Deere, Lummus e Busa representaram o setor de máquinas e implementos. Foram apresentados caminhos para aumentar a produtividade a partir de inovações tecnológicas, especialmente na hora da colheita do algodão. 

Programa Standard Brasil HVI – Das prioridades do setor, está o desafio de padronizar e centralizar os resultados de HVI (High Volume Instrument). Na visão do presidente da Abrapa, João Carlos Jacobsen, uma das próximas grandes viradas de chave para a cotonicultura ocorrerá com a criação do Laboratório Central de Referência (LCR) e a implementação do software de gestão do programa Standard Brasil HVI. Localizado próximo a Brasília (DF), o laboratório deverá estar pronto em setembro para começar a funcionar oficialmente na safra 2016/2017. Ali serão conferidas as análises de até 2% dos testes de HVIs feitos por outros laboratórios brasileiros, o que deve aumentar o controle da qualidade da fibra. “Os dados gerais da qualidade serão oferecidos pela Abrapa, mas o produtor receberá uma análise completa individual sobre seus lotes”, explica Jacobsen. O projeto deverá reduzir gargalos que ainda existem na hora de analisar a qualidade da fibra. 

Para concluir o encontro, a SLC Agrícola apresentou resultados obtidos a partir de técnicas de manejo em formação de lotes. A empresa é a maior produtora de algodão do País, com lavouras no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Maranhão e Bahia 

Bayer: Ciência para uma vida melhor
A Bayer é uma empresa global focada em Ciências da Vida nas áreas de cuidados com a saúde humana, animal e agricultura. Seus produtos e serviços são desenvolvidos para beneficiar as pessoas e melhorar sua qualidade de vida. Além disso, a companhia objetiva criar valor por meio da inovação. A Bayer é comprometida com os princípios do desenvolvimento sustentável e com suas responsabilidades sociais e éticas como uma empresa cidadã. Em 2015, o grupo empregou cerca de 117 mil pessoas e obteve vendas de € 46.3 bilhões. Os investimentos totalizaram € 2.6 bilhões e as despesas com Pesquisa & Desenvolvimento somaram € 4.3 bilhões. Esses números incluem os negócios de polímeros de alta tecnologia, que foram lançados no mercado de ações como companhia independente nomeada Covestro, em 06 de outubro de 2015. Para mais informações sobre a divisão Crop Science, acesse nosso site: www.bayer.com.br e os nossos canais nas redes sociais: Facebook (www.facebook.com/BayerCropScience.BR); Twitter (Bayer4CropsBR); YouTube (www.youtube.com/BayerCropScienceBR)
 

Declarações antecipadas quanto ao futuro
Este press release pode conter declarações quanto ao futuro baseadas em suposições e previsões atuais feitas pela administração do Grupo Bayer ou suas divisões de negócios. Diversos riscos conhecidos e desconhecidos, incertezas e outros fatores podem causar diferenças relevantes entre os reais resultados futuros, situação financeira, desenvolvimento ou desempenho da Empresa e as estimativas aqui fornecidas. Tais fatores incluem aqueles discutidos nos relatórios públicos da Bayer disponibilizados em seu website www.bayer.com. A Empresa não assume responsabilidade alguma pela atualização de tais declarações antecipadas quanto ao futuro nem sua adaptação a eventos ou desenvolvimentos futuros.

 

 

 

BayerOpinião e ArtigosS2PublicomSustentabilidade