Homens não fazem acompanhamento regular sobre saúde
Rayan Ribeiro
Clique na imagem para fazer o Download...
Oncologista Dr. Márcio Almeida
Alta | Web
Rayan Ribeiro
Clique na imagem para fazer o Download...
Nutricionista Gabryella Batista
Alta | Web

Estudo do Ministério da Saúde mostrou que 31% dos entrevistados não se submetem a nenhum tipo de exame.
Oncologista afirma que quanto mais tarde for o diagnóstico, menor é a chance de cura de determinadas doenças.

 

Uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde mostrou que 31% dos homens brasileiros não fazem um acompanhamento regular no estado de saúde com nenhum tipo de profissional médico. De acordo com o estudo, realizado em 2015, 55% dos entrevistados não procuraram consultórios porque sentiam que “nunca precisaram”. Segundo o órgão, a conclusão é que o público masculino pensa que não se acomete de doenças ou possui medo de descobri-la.

A expectativa de vida dos homens, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é de 71 anos, enquanto as mulheres vivem oito a mais. Para o oncologista Dr. Márcio Almeida, da Aliança Oncologia, esse quadro serve de justificativa e também de incentivo. “Podemos dizer que muitos homens poderiam se curar de determinadas doenças se acompanhassem um médico mais regularmente, mas com a falta de interesse do público masculino pela sua saúde, essas mesmas enfermidades, que seriam tratáveis ou curáveis em estágios iniciais, demoram a ter um diagnóstico e já passam a ser muito complicadas em um quadro clínico.” Segundo o médico, “justamente por viver menos, os homens deveriam procurar mais pela medicina”.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de pele não melanoma e o de próstata são os dois tipos de tumores que mais acometerão o público masculino em 2016 e 2017, com 46% e 28,6% dos casos, respectivamente, e responsáveis por 2,4% das mortes por tumores em 2013. Paulo Rodrigues tem 61 anos, é militar reformado e já sofreu com câncer na próstata, sendo paciente do Dr. Almeida. Ele relata a experiência e conta como foi importante o acompanhamento médico. “Se fosse só pelo exame do toque, provavelmente a doença avançaria, porque nada foi constatado. Aí o médico resolveu fazer mais exames, e vimos que estava lá. Mantive a calma, pedi ajuda a Deus. A família ficou mais desesperada do que eu, mas deu tudo certo. Nunca fuja do médico, essa é a mensagem que passo adiante. Homem é cheio de preconceito, principalmente quanto ao câncer de próstata. Mas, tem que ir. Quanto ao câncer de pele, se surgir qualquer mancha diferente, procure por ajuda!"

A pesquisa mostra também que 57% dos entrevistados possuem sobrepeso, sendo 18% obesos, e que apenas 31% comem frutas e verduras regularmente. A nutricionista Gabryella Batista, da Aliança Oncologia, alerta para a necessidade de uma refeição mais equilibrada para se prevenir doenças. “Os homens, em geral, só procuram o profissional nutricionista em duas ocasiões: melhorar desempenho esportivo com e composição corporal ou em face de alguma patologia. A melhor maneira de se prevenir doenças como problemas cardiovasculares, diabetes e obesidade é através de uma dieta feita de maneira preventiva.” Segundo Gabryella, “relacionar a alimentação saudável à qualidade de vida é a melhor forma de convencer os homens a cuidarem do que comem”.

Aliança - Instituto de Oncologia

Edifício Dr. Crispim, 15º andar, Setor Hospitalar Norte (atrás do HRAN), Asa Norte, Brasília-DF
Telefone: (61) 3326-2000
SEP/SUL 909 - Edifício Júlio Adnet, Conjunto B. Sala 209, Asa Sul, Brasília-DF

Telefone: (61) 3326-2000
QNE 05 Lote 13, Avenida Sandú Norte, Taguatinga-DF
Telefone: (61) 3351-0118

Alianca OncologiaObjetiva ComunicaçãoSaúde MasculinaSaúde Pública