Como tratar gripes e resfriados na terceira idade

Prevenção, sintomas e contaminação da gripe são os mesmos na terceira idade; o que muda é a possibilidade de complicação da doença

 

A partir dos 65 anos, é preciso ter um cuidado especial com a saúde para evitar que pequenos problemas se transformem em grandes complicações, como gripes que evoluem para pneumonia com mais facilidade. No 1º de outubro foi comemorado o Dia Mundial do Idoso e, em função da data, o pneumologista Mauro Gomes dá algumas dicas sobre cuidados necessários durante a terceira idade para evitar complicações decorrentes de gripes e resfriados.

 

“A gripe e os vírus são os mesmos independentemente da idade. O que modifica no caso do idoso é a maior possibilidade de complicação. A principal é a pneumonia, infecção dos pulmões por bactérias ou pelo próprio vírus da gripe. Por isso, o indivíduo que está com 65 anos ou mais deve se cuidar e estar atento aos sintomas para tratar rapidamente”, explica Mauro Gomes, pneumologista, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa/SP e chefe de equipe de Pneumologia do Hospital Samaritano.

 

É possível que um idoso adquira o vírus da gripe por meio da tosse, espirro e fala de pessoa para pessoa, diretamente pelo ar ou por objetos que foram manipulados pelo doente. O indivíduo é contaminado quando inala as partículas do vírus ou quando toca os objetos contaminados e leva sua mão aos olhos, nariz ou boca. Mesmo o idoso tendo sido vacinado contra a gripe, isto não impede que ele tenha um quadro gripal, mas sim, reduz a chance dele ter um quadro gripal grave.

 

Se por acaso o idoso apresentar os sintomas da gripe, é importante que a família não hesite em procurar ajuda médica, de preferência o médico que já acompanha o idoso. “Apesar da fragilidade de uma pessoa com 65 anos ou mais, os acompanhantes não devem deixar de levá-la ao hospital por receio de sofrer uma nova infecção. É uma oportunidade de cuidar precocemente e evitar uma complicação mais grave”, diz o pneumologista.

 

Ainda segundo o Dr. Mauro, além do auxílio de um especialista, é essencial que o idoso informe todos os medicamentos de uso rotineiro e também se ele possui já alguma outra doença prévia. “O tratamento da gripe é muito semelhante para todos. Porém, na terceira idade, normalmente outros medicamentos já são tomados e a somatória deles podem gerar efeitos colaterais. Além disso, é necessário saber se as funções do rim e do fígado estão normais, pois são os órgãos responsáveis por metabolizar os medicamentos”.

 

Ainda vale ressaltar que o envelhecimento da população continua sendo uma tendência no Brasil. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país tem mais de 20 milhões de idosos¹ e, até 2060, a expectativa é que esta faixa etária represente 26,7% da população - 58,4 milhões de idosos em uma população com 218 milhões de pessoas².

 

Se o indivíduo não conseguir evitar a doença, é recomendado o uso de medicamentos para o tratamento sintomático de gripes, a fim de minimizar os efeitos da gripe. Um medicamento que tem essa função é o MultiGrip®, fabricado pela Takeda, que age no alívio dos sintomas das gripes e resfriados.

*CRM/SP 59917

 

Sobre MultiGrip®

 

MultiGrip® é um medicamento para os múltiplos sintomas com ação em congestão nasal, coriza, febre, cefaleia, dores musculares e demais sintomas típicos das gripes e resfriados³. Presente no mercado brasileiro desde 2002, fabricado por Multilab, uma empresa do grupo Takeda, o medicamento está disponível nas apresentações: caixa (20 cápsulas), blíster avulso (10 e 4 cápsulas), sachê (sabor limão com mel e laranja), solução oral e solução oral-gotas (15 ml) com aroma de frutas vermelhas. Classificado como medicamento isento de prescrição (MIP), MultiGrip® é líder contra os sintomas da gripe4.

 

MULTIGRIP®

 

MultiGrip® cápsula, solução oral, solução oral (gotas) e granulado. Paracetamol, maleato de clorfeniramina, cloridrato de fenilefrina. Indicações: Alívio dos múltiplos sintomas de gripes e resfriados, como congestão nasal, coriza, febre, cefaleia, dores musculares e demais sintomas presentes nos estados gripais.

 

MULTIGRIP® É UM MEDICAMENTO. DURANTE SEU USO, NÃO DIRIJA VEÍCULOS OU OPERE MÁQUINAS, POIS SUA AGILIDADE E ATENÇÃO PODEM ESTAR PREJUDICADAS. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.

 

Registro MS - 1.1819.0021

 

Referências:

¹Índice do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira 2010 [Internet]. Rio de Janeiro: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. 2010 [cited 2014 Aug 26]. Available from: http://goo.gl/rJDwq

²Índice do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).Projeção da população do Brasil por sexo e idade para o período 2000/2060: projeção da população das unidades da federação por sexo e idade para o período 2000/2030 [Internet]. Rio de Janeiro: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. 2013 [cited 2014 Aug 26]. Available from: http://goo.gl/vZFnX7

³Multigrip® [Bula]. São Paulo: Takeda Pharma Ltda.

4IMSHealth.AuditoriaPharmaceutical Market Brazil; unidades.2013.

 

Informações sobre a Takeda

 

Sediada em Osaka, Japão, a Takeda é uma companhia farmacêutica global que investe em pesquisa e inovação para comercializar mais de 700 produtos em 70 países, sendo especialmente forte na  Ásia, América do Norte, Europa e Mercados Emergentes,  incluindo América Latina, Russia-CIS e China. Fundada há 233 anos, hoje é uma das 15 maiores farmacêuticas do mundo e a número 1 no Japão, graças ao esforço continuo de seus 31.000 colaboradores em lutar pela melhoria da saúde e um futuro mais brilhante das pessoas em todo o mundo por meio da liderança na inovação de medicamentos.

 

As áreas terapêuticas em que a Takeda atua incluem cardiovascular e metabólica, oncologia, respiratória e imunologia, endocrinologia, gastroenterologia, otorrinolaringologia, pneumologia, neuropsiquiatria, sistema nervoso central, medicina geral e vacinas. Com a integração da Millennium Pharmaceuticals e da Nycomed, a Takeda vem se transformando, aumentando sua expertise terapêutica e alcance geográfico.

 

A Takeda está entre as 10 principais farmacêuticas do Brasil, tem duas fábricas instaladas no território nacional - Jaguariúna (SP) e São Jerônimo (RS) – e conta com quase 2.000 colaboradores. A área de OTC (medicamentos isentos de prescrição) representa mais de 40% do faturamento da companhia e tem no portfólio produtos conhecidos como Neosaldina® (analgésico), Eparema® (digestivo) e Nebacetin® (antibactericida). Em sua área Rx (medicamentos de prescrição médica), as principais especialidades atendidas pela Takeda são: gastroenterologia, otorrinolaringologia, pneumologia, imunologia e respiratória. A empresa prepara-se para lançar nos próximos anos medicamentos para novas áreas terapêuticas como oncologia e cardiometabólica.

 

A afiliada no Brasil adquiriu em julho de 2012 o laboratório nacional Multilab - com portfólio focado em medicamentos OTC, genéricos e genéricos de marca – com o objetivo de diversificar a carteira de produtos da companhia e aproximar-se ainda mais da nova classe média.

 

Há informações adicionais sobre a Takeda no site corporativo da empresa: http://www.takedabrasil.com

 

 

 


 

Burson MarstellerSaúdeTakedaTerceira Idade