Carros parados podem gerar renda de até R$ 5 mil

Jovens cadastraram seus carros em plataforma de economia compartilhada e, com o dinheiro conquistado, pagam despesas e até investem em negócios próprios

 

Jovens paulistanos como Olívia Haiat (23), Fabiana Arrais (36), Kaidu Barros (26) e Lia de Almeida (24) encontraram na economia compartilhada uma solução para driblar a crise nacional. A alternativa foi disponibilizar seus carros para locação, garantindo assim uma renda extra para pagar as despesas da casa, do carro e até mesmo para empreender. A plataforma utilizada por eles é Pegcar.com, que conecta proprietários de carros a condutores interessados, permitindo locações por hora, dia ou semana, com seguro incluso.

 

Olívia, que está cadastrada na plataforma há três meses, faturou R$ 2.300 reais com a última locação. Com dinheiro conquistado, a jovem está investindo em um negócio próprio. “Sei que carro parado desvaloriza muito e pensei, porque não ao invés de deixar parado, utilizá-lo para ganhar dinheiro, investir no meu próprio negócio e empreender”, diz. A jovem tem planos para consolidar uma empresa que aposta no mercado infantil com uma rede de baby sitters.

 

Kaidu também colhe os benefícios da economia compartilhada. Desempregado há seis meses, o jovem tem utilizado o dinheiro para se manter. “Está sendo a minha única renda atualmente. É o que me ajuda arcar com as despesas mensais”, declara Barros. Já Lia e Fabiane utilizam o lucro obtido para arcar com os gastos provenientes do carro. “Faturei R$ 2 mil reais na minha última locação”, diz Lia. “Trabalho de casa e não utilizo o carro todos os dias, e o dinheiro das locações me ajudou a quitar o IPVA e a manutenção do carro”, finaliza Fabiane.

 

De acordo com Conrado Ramires, sócio-fundador do Pegcar, o conceito de economia compartilhada já está bastante desenvolvido na Europa e nos Estados Unidos e tem ganhado cada vez mais adeptos no Brasil devido as vantagens oferecidas. “A ideia é que na economia compartilhada todo mundo saia ganhando”, afirma Ramires.

 

Ao mesmo tempo em que o serviço proporciona uma economia para quem precisa alugar um carro, já que através da economia compartilhada o valor é em média 30% mais barato do que em uma locadora convencional, o sistema oferece vantagens financeiras aos proprietários, ajudando em tempos de crise. “Hoje temos carros cadastrados na plataforma com aluguel a R$1.250 reais por semana, proporcionando uma renda mensal de R$5 mil reais”, complementa.

 

Para utilizar a plataforma, o proprietário deve se cadastrar no site do Pegcar, analisar as solicitações de aluguel com base no perfil completo do solicitante e, em caso positivo, aceitar a reserva, lembrando que, o proprietário é quem determina se aceita realizar a locação pelo período e data definida pelo condutor. O carro deve ter no máximo 10 anos de uso e ter uma quilometragem inferior a 100 mil km.

 

O site aposta na confiança, já que o serviço oferece seguro durante a locação, disponibilizado pela Mapfre, empresa parceira que oferece um seguro para a transação. Esta proteção cobre 100% da tabela FIPE do carro e engloba colisão, incêndio, roubo, furto assistência 24h e responsabilidade civil.

 

Empreendedorismo e StartupFinanças PessoaisMisasi Relações PúblicasPegcar